Análises Químicas

Home » Análises Químicas » Determinação do Metanol na Cachaça

Determinação do Metanol na Cachaça

11/10/2016

cachacaO metanol é originado da degradação da pectina, um polissacarídeo presente na cana-de-açúcar e é liberado durante o processo de fermentação. Trata-se de um álcool altamente indesejável na aguardente em razão de sua alta toxidez para o homem. Segundo a IN 13, a concentração máxima de metanol que pode estar presente na cachaça é de 20 mg/100 ml de álcool anidro. Para que esse valor não seja ultrapassado deve-se evitar a queima da cana durante a colheita, uma fermentação conduzida na presença de sucos ou polpas de frutas ricas em pectina e o acúmulo de bagacilhos na parede do alambique.

Princípio:

O metanol é oxidado pelo permanganato de potássio para forma aldeído, que reage com o sal do ácido cromotrópico para dar uma coloração roxa medida colorimetricamente.

Equipamentos:

  •  Termômetro.
  • Colorímetro ou espectrofotômetro no visível.
  • Banho-maria.

 Vidrarias:

  •  Pipetas volumétricas de 1, 2 e 5 ml.
  • Pipeta graduada de 10 ml.
  • Balões volumétricos de 50 ml.

Reagentes e Soluções:

Solução de permanganato de potássio a 3% em solução de ácido fosfórico a 15% que se obtém diluindo-se 10,5 ml de ácido fosfórico concentrado p.a. (85% e d=1,69) em água destilada, acrescentando 3 g de KMnO4 e avolumando a 100 ml.

Função: o permanganato de potássio é colocado em meio ácido, pois as oxidações promovidas por este sal se dão apenas em meio ácido.

Sulfito de sódio ou bissulfito de sódio sólido p.a.

Função: descolorir a solução ao se oxidar reduzindo o permanganato de cor violeta intensa. A coloração violácea interfere nos resultados, visto que a região de absorção do cromóforo gerado no meio é de 575nm.

Álcool etílico p.a.

Função: usado como matriz e para ajudar a dissolver o ácido cromotrópico.

Ácido sulfúrico concentrado (d = 1,84).

Função: catalisa a reação por protonação do aldeído fórmico e realiza a desidratação dos grupos fenólicos do ácido cromotrópico para a formação do cromóforo.

Solução de ácido cromotrópico a 5%.

Função: reagir com o aldeído fórmico gerando o cromóforo que será analisado.

Procedimento:

  1. Tomar o destilado da amostra (usado para determinação do grau alcoólico real) e diluir a concentração do álcool para 5-6% em volume.
  2. Preparar um branco de álcool etílico a 5,5%.
  3. Preparar uma solução padrão contendo 0,025 % em volume de metanol em solução de álcool etílico a 5,5%.
  4. Pipetar 1 ml de amostra diluída em balão volumétrico de 50 ml contendo 2 ml de solução de permanganato e ácido fosfórico, esfriando em banho de gelo. Tratar da mesma forma o branco e o padrão de metanol.
  5. Ao pipetar, não deixar o líquido aderir na parede do frasco.
  6. Agitar e deixar em banho de gelo por 30 minutos.
  7. A seguir, adicionar sulfito de sódio até descolorir a solução.
  8. Adicionar 1 ml de solução de ácido cromotrópico.
  9. Adicionar lentamente 15 ml de ácido sulfúrico concentrado girando o balão. Colocar em banho-maria a 60-70 °C por 15 minutos.
  10. Esfriar e completar o volume com água destilada a temperatura ambiente. Calibrar o aparelho a 575 nm com o branco.
  11. Ler a absorbância da amostra e do padrão.

Cálculos e Expressão dos Resultados:

O teor de metanol é expresso em ml de álcool metílico por 100 ml de álcool anidro, pela fórmula que se segue:

cachaca2

 

Onde:

CM= Concentração de metanol em ml/100 ml de a.a.

A = Absorbância da amostra.

F = Fator de diluição do teor alcoólico.

AP= Absorbância do Padrão.

GR = Grau alcoólico real.

Evandro Trindade

Administrador do Quimicando, formado em Técnico em Química e esta cursando Analise e Desenvolvimento de Sistemas, um grande admirador por analises químicas e métodos analíticos, hoje também por programação, design e desenvolvimento web.

0 Comentário

Deixe o seu comentário!