Análises Químicas

Home » Análises Químicas » Tipos de Análises Químicas

Tipos de Análises Químicas

9/09/2016

A n á l i s e Q u í m i c a

Uma análise química é um processo que fornece informações químicas ou físicas sobre uma amostra ou sobre a amostra. Existem diversas técnicas de análise química, normalmente referindo-se a técnicas em via úmida e instrumental.

Análise química é o conjunto de técnicas de laboratório utilizadas na identificação das espécies químicas envolvidas em uma reação, como também a quantidade dessas espécies. As análises químicas podem ser realizadas de três diferentes formas: quantitativamente, qualitativamente ou apenas imediata.

Análise imediata: consiste em isolar as espécies que constituem o material, esse isolamento pode ser feito manualmente. Por exemplo, se queremos analisar uma amostra sólida e esta estiver inserida em um meio líquido, é preciso retirar este sólido do meio aquoso.

Análise qualitativa: essa etapa identifica a composição do material, é preciso instrumentos apropriados para executar este procedimento. O resultado neste caso pode ser obtido pela mistura de outro componente à mistura.

Análise quantitativa: é a análise mais criteriosa, além de saber do que se trata o material ainda é preciso saber a quantidade do componente em questão dentro da amostra. Foi seguindo esses passos básicos que a ciência evoluiu e chegou ao que é hoje: essencial na descoberta de curas de doenças, na tecnologia, entre outros benefícios.

Tipos de análise:

Análise elementar: determina-se a quantidade de cada elemento na amostra, sem levar em consideração os compostos realmente presentes.

Análise parcial: determina-se apenas certos constituintes da amostra.

Análise completa: determina-se a proporção de cada componente da amostra.

Análise de constituintes-traço: caso especial da análise parcial, na qual determina-se constituintes que estão presentes em quantidades muito pequenas.

Classificação com base no tamanho da amostra:

tipo-de-granulometria

Classificação com base na proporção do constituinte:

tipo-de-granulometria2

Os passos de uma análise química:

  • Definição do problema;
  • Escolha do método – pesquisa bibliográfica;
  • Amostragem – reduzir a um volume condizente com as condições de análise;
  • Pré-tratamento da amostra – abertura da amostra e remoção dos interferentes;
  • Calibração e medição;
  • Avaliação – análise estatística dos resultados;
  • Ação – o que fazer com o resultado.

Fatores que afetam a escolha do método analítico:

O tipo de análise que se quer fazer: elementar ou molecular, rotineira ou episódica, etc. Problemas decorrentes da natureza do material investigado.

Ex.: substâncias radioativas, substâncias corrosivas, substâncias afetadas pela água, etc.

A possível presença de interferentes.

A faixa de concentração a ser investigada.

A exatidão requerida.

A disponibilidade de equipamento.

O tempo necessário para completar a análise.

O número de análises de mesmo tipo a serem efetuadas (o analista fará um número limitado de determinações ou a situação exigirá análises freqüentes e repetitivas?).

A necessidade de se usar um método não destrutivo.

O custo da análise.

Exemplo: Determinação de Ni em aço

Volumetria de Precipitação

  1. Dissolver a amostra numa mistura de ácidos;
  2. Eliminar o excesso de ácidos evaporando até quase a secura;
  3. Levar até volume apropriado ajustando simultaneamente o pH;
  4. Precipitação do Ni com DMG;
  5. Filtrar o precipitado;
  6. Redissolver em ácido;
  7. Regular o pH e adicionar indicador;
  8. Titular.

Fluorescência de Raio-X

  1. Prensar a amostra num disco plano;
  2. Polir a superfície do disco;
  3. Montar no espectrofotômetro e fazer a leitura.

resumo-de-metodos

A m o s t r a g e m

A etapa crítica numa análise é a amostragem. É ela que determina a precisão e a exatidão da análise. Consegue-se muito mais precisão nos métodos analíticos do que na amostragem.

LOTE – AMOSTRA BRUTA – AMOSTRA DE LABORATÓRIO – ALÍQUOTA

A alíquota tem de ser representativa do todo (lote). Se a variância da operação de amostragem for representado por SS2 e a variância do procedimento analítico por sA2, então o desvio padrão total sT será dado por:

 desvio

Comentários: não adianta diminuir tanto o desvio padrão da análise, sacrificando tempo e dinheiro, se o método da amostragem não for preciso. Nesse caso vale mais a pena usar um método menos preciso, mas que possa ser repetido várias vezes buscando uma maior exatidão.

Evandro Trindade

Administrador do Quimicando, formado em Técnico em Química e esta cursando Analise e Desenvolvimento de Sistemas, um grande admirador por analises químicas e métodos analíticos, hoje também por programação, design e desenvolvimento web.

0 Comentário

Deixe o seu comentário!